REPÓRTER CIDADÃO


Lixo espalhado




Moradores do Jardim Santa Rosa, na zona norte de Sorocaba, reclamam da situação do canteiro central da avenida Fulvio Claudio Biazzi. Na altura do número 174 há muito lixo espalhado pelo local, o que acaba gerando muita sujeira, mau cheiro, além da proliferação de insetos. Eles relatam que o problema é constante e pedem apoio para sua resolução, tanto por parte do poder público, com a limpeza, como das pessoas que acabam jogando o lixo em local indevido, para que não façam mais isso.


Estacionamento irregular




O flagrante da foto mostra um motorista que resolveu, no início da noite de uma quarta-feira, estacionar em cima da calçada da avenida General Carneiro, na zona oeste da cidade. A alegação para o ato foi de que tratava-se de uma emergência -- apesar de não existir nenhuma farmácia ou pronto-socorro próximo ao local. A situação prejudicou bastante os pedestres que passavam pela região -- entre eles uma mulher levando uma criança, num carrinho -- que tiveram que circular pelo asfalto.


Par de sapatos




O repórter-fotográfico Emídio Marques flagrou um par de sapatos num local bastante improvável: apoiado na fiação elétrica na rua Pedro de Oliveira Neto, no Campolim, ao lado do parque Kasato Maru. O calçado, que foi atirado para o alto provavelmente por alguém que não ia mais utilizá-lo, já que está com o solado descolado, acaba aumentando muito o risco de acidentes. Além de estar pendurado no fio, está muito próximo da caixa de energia.


Obras




O registro da lente do repórter-fotográfico Emídio Marques mostra o detalhe das obras no espaço de seis mil metros quadrados, no Complexo Panorâmico, que a partir do mês de maio funcionará como o centro de eventos. Um importante investimento, que visa atender à demanda de Sorocaba e de toda a região metropolitana na área de shows e entretenimento.


35 anos




Há mais de três décadas esse palco, essas cortinas e essas coxias são testemunhas de muitas formas de expressão artística. Foram milhares de artistas, de Sorocaba e de outros locais, da música, dança, teatro e tantas outras formas de arte, que já se apresentaram no teatro municipal Teotônio Vilela, que completou 35 anos de vida no último dia 29 de janeiro. Um patrimônio da cidade e dos artistas sorocabanos.